WACC

Cálculo Wacc: como fazer e para que serve?

Ter uma empresa de sucesso, em alguns momentos, parece um misto de visão estratégica com um bom conhecimento de matemática. Pelo menos para controlar certas métricas financeiras, como o cálculo do Wacc.

Aliás, você sabe como se calcula Wacc? Se não sabe, este é o último artigo que você vai precisar ler sobre o assunto.

Neste material, vamos ensinar exatamente como fazer como calcular o Wacc e como usá-lo tanto na gestão do seu negócio, quanto em um processo de Fusão, Aquisição ou Venda de empresa.

Vamos lá?

O que é Wacc?

Para entender como fazer o cálculo Wacc (comumente chamado também de taxa de desconto), precisamos entender que métrica é essa em primeiro lugar. Afinal, do que estamos falando aqui?

Sem seguir um caminho excessivamente teórico, o Wacc é uma sigla que, em inglês, significa Weighted Average Cost of Capital.

Em português, a tradução ficaria algo como Custo Médio Ponderado do Capital (CMPC).

Mas o que isso quer dizer na prática? Basicamente, o Wacc é a média do custo que uma empresa tem para conseguir levantar um determinado capital: seja para investir em seu crescimento, seja para manter um capital de giro ou o que for.

Normalmente, quanto maior for o Wacc de um negócio, mais caro (em termos de risco) é para essa empresa se financiar — e isso é uma má notícia para um empreendedor (mas veremos isso mais para frente).

O que você precisa entender neste primeiro momento é que o Wacc é uma espécie de comparativo entre potenciais fontes de crédito. Essa métrica vai te dar melhores parâmetros para que você possa entender como gerenciar seu negócio com menos custo e mais retorno.

Ebook Valuation PME

Como fazer o cálculo do Wacc?

Ok, agora que já entendemos o que é essa métrica, é hora de ver como fazer o cálculo do Wacc. Por onde começamos?

Vamos por partes para não ficar tudo muito confuso, ok?

O primeiro passo de como calcular o Wacc é saber a sua fórmula. Segue:

WACC = Ke (E/D+E) + Kd . (1- t) . (D/D+E)

Nessa fórmula, cada parâmetro significa o seguinte:

  • Ke = custo do capital de fonte interna (ou capital próprio);
  • Kd = custo do capital de fonte externa (ou dívidas/empréstimo);
  • E = patrimônio líquido da empresa;
  • D = dívida total;
  • t = Impostos.

Agora que sabemos a fórmula completa, o próximo passo para entender como se calcula Wacc é compreender cada passo dessa equação.

Por isso, vejamos um pequeno resumo de cada um desses fatores!

Ke (Custo do Capital Próprio)

O custo do capital de fonte interna (capital próprio) é um valor que vai retratar o custo do dinheiro que os próprios acionistas, donos ou cotistas da empresa colocam no negócio.

Não é fácil obter esse valor, mas é necessário para poder calcular o Wacc de uma empresa.

Uma das grandes dificuldades de calcular o Ke (custo do Capital de Fonte Interna) de um negócio é medir a sensibilidade do mercado naquele momento, já que este é um dos fatores da conta.

A ideia, portanto, é calcular qual é o custo que os acionistas, donos e sócios têm ao colocar seu dinheiro no financiamento da empresa, já que poderiam colocá-lo em outro lugar.

A fórmula do Ke é:

  • Ke = Rf + beta x (Equity Risk Premium + Country Risk Premium)

Neste caso:

Rf corresponde ao retorno dos ativos sem risco (ou taxa livre de risco). Geralmente, considera-se um investimento livre de risco, como tesouro direto ou bonds de 5 ou 10 anos (dependendo da janela de projeção do valuation) do Brasil como base para esse cálculo, já que ela representa o investimento “sem riscos” (entre aspas, pois é o mais próximo disso) no mercado.

Tanto o beta como Equity Risk Premium e Country Risk Premium analisam o risco do setor em que a empresa atua, o risco de investir em mercados voláteis (como em ações) e também o risco do país.

Kd = custo do capital de fonte externa (custo da dívida)

O Kd (Custo da Dívida) é um pouco mais fácil de calcular, pois corresponde ao custo de pegar dinheiro no mercado.

Para chegar ao seu valor teórico, utilizamos a seguinte fórmula:

Kd (pretax) = Rf + Country Default Spread + Company Default Spread

Onde:

Rf = taxa livre de risco (risk free rate);

Country Default Spread = Spread do incumprimento/calote associado ao país;

Company Default Spread = Spread do incumprimento/calote associado à empresa.

Patrimônio líquido

O dado mais fácil da fórmula de cálculo do Wacc é o patrimônio líquido. Para encontrá-lo, basta:

  • Patrimônio líquido = Ativos – Passivos

Simples: pegue seus ativos e subtraia os passivos. Pronto, você chegou ao patrimônio líquido do negócio.

Outra maneira (variação) de como calcular o WACC

Além da fórmula mais tradicional para calcular o Wacc que vimos acima, ainda existe uma segunda maneira de encontrar essa métrica (dessa vez, um pouco mais simples), que na verdade é a mesma do exemplo acima, só que descrita de uma maneira um pouco diferente.

A fórmula é a seguinte:

Cost of Capital = Cost of Equity x [ E / (D + E) ] + Cost of debt x (1 – t) x [ D / (D + E) ]

Nessa fórmula, temos os seguintes fatores:

  • Cost of Equity = Custo do Capital Próprio
  • Cost of Debt = Custo da Dívida adquirida;
  • E = Equity ou Patrimônio líquido / capital próprio dos sócios e da empresa)
  • D = Dívida (passivo da empresa)
  • T = Alíquota de Imposto Marginal do país (no nosso caso, do Brasil).

Essa é a fórmula mais usada por Aswath Damodaran, um dos maiores nomes de Valuation da atualidade. Ele prefere essa fórmula do cálculo do Wacc pois ela é um pouco mais simplificada e ágil, com menos subjetividade.

Portanto, você pode sempre optar por essa fórmula caso queira um cálculo mais rápido e menos complexo. No entanto, é importante conhecer as duas ferramentas (e a natureza dos seus fatores) para usá-las quando precisar.

Como usar o Wacc no dia a dia?

Agora que você já sabe como se calcula Wacc, é hora de entender como e quando utilizar essa métrica — e o que isso tem a ver com o valor da sua empresa.

Como vimos, o Wacc mede o custo para uma empresa pegar capital para se financiar no mercado.

Ao pegar esse capital, a empresa pode fazer muitas coisas: pagar funcionários, fazer giro de caixa, investir e crescer… depende da estratégia adotada.

Antes de pegar capital, entretanto, você pode usar o Wacc para medir o custo geral de cada operação. Nem sempre a operação mais custosa é apenas aquela que tem juros mais altos, existem muitos fatores a considerar.

É por isso, por exemplo, que o Wacc é a média “ponderada”, uma vez que leva esses fatores em consideração.

Além disso, saber o Wacc do seu negócio permite que você possa entender se sua empresa tem um custo de financiamento mais alto do que a média do mercado — ou mais alto do que possa bancar.

No geral, o Wacc por si só não entrega muita coisa. É o uso que se faz dele que realmente importa e faz a diferença. Por isso, é vital compreender a sua formação e atuar estrategicamente com esse dado no mercado.

Por exemplo, olhe para o dado de que 60% das empresas no Brasil fecham as portas em 5 anos de atuação. Uma as principais razões para essa alta taxa de “mortalidade” de CNPJs é a dificuldade de se financiar a baixo custo. Logo, quanto maior o custo do capital, maior o risco também.

Como o Wacc influencia no valor do seu negócio?

Vamos pensar em um exemplo anedótico. Imagine o seguinte cenário:

Temos uma corrida de 1 quilômetro. Um dos concorrentes é o Corredor A, que anda 10 metros e volta 1 metro a cada 10 minutos. Depois, repete o ciclo.

Outro concorrente é o Corredor B, que anda 15 metros a cada 10 minutos, mas volta 7 no mesmo ciclo.

Quem vencerá a corrida? A resposta óbvia é o Corretor A. Afinal, ele faz 9 metros por ciclo, enquanto o Corredor B faz 8 metros.

O que esse exemplo nos mostra? Que correr muitos metros de uma vez é importante, mas é igualmente importante não “voltar” muitos metros também.

Levando para o mundo corporativo, é importante que o seu negócio venda muito e obtenha retorno. Mas é igualmente importante que ele não tenha custos altos.

Um dos fatores considerados ao calcular o valor de uma empresa é o custo para se financiar. Ou seja, o cálculo do Wacc.

Se o negócio tem um custo muito alto de financiamento, há algo de errado aí. Se esse custo é muito acima da média do mercado, então o valor da empresa tende a cair.

Pronto! Agora que você leu este artigo até o fim, aprendeu como calcular o Wacc e, o mais importante, como usar essa informação para melhorar o valuation do seu negócio. Agora, é hora de analisar os seus números e tentar diminuir o custo de financiamento, se possível.

Se você quer aumentar a valorização da sua empresa, nossa recomendação é baixar o nosso eBook gratuito Guia Valutech de Valuation para Pequenas e Médias Empresas. O livro vai te ensinar tudo sobre business valuation para PMEs e o que fazer para tornar seu negócio mais valioso!