Comprar Empresa com Dívida Vale a Pena?

Comprar empresa com dívidas vale a pena? Entenda a estratégia agora mesmo!

Imagine que um amigo ou mesmo um ilustre desconhecido oferece uma oportunidade de negócio para você: comprar empresa com dívidas. O que você diria?

Se a sua primeira reação é dizer que “não”, então saiba que você não está sozinho nisso. Essa seria, em tese, a reação da maioria das pessoas.

No entanto, ao mesmo tempo, essa também pode ser a resposta que impediria uma ótima oportunidade de crescimento e valoração.

Quer saber mais sobre o assunto e entender como comprar empresa com dívidas pode valer a pena? Então leia o conteúdo abaixo com bastante atenção!

Comprar empresa com dívidas faz sentido?

Para começar, vamos explicar de uma vez essa estratégia. Afinal de contas, para quem não conhece o assunto, comprar empresa com dívidas pode não fazer nenhum sentido.

No entanto, sob certas condições e determinados fatores, comprar empresa com dívidas pode ser um excelente negócio.

A ideia central dessa estratégia é encontrar empresas que estão em uma situação financeira complicada, mas que possuem um gigantesco potencial de sair desse contexto.

Isso faria com que o investimento realizado na empresa logo aumentasse bruscamente de valor.

Guardadas às devidas proporções, é como investir em comprar um imóvel antigo, com problemas estruturais, sujo e com a tinta descascando. Depois, reformar o local, manter o seu charme, repintar a parede e limpá-lo por completo. É claro que, agora, o imóvel vai valer muito, muito mais.

É a mesma coisa com uma empresa com dívidas: hoje, ela não parece um bom negócio. Suas dívidas assustam e afastam possíveis compradores. Por isso mesmo, ela está barata.

No entanto, dependendo do seu potencial, a empresa pode dar a volta por cima sob nova direção e, assim, passar a valer muito mais do que antes, aumentando o patrimônio de quem fez a aquisição.

Tentar salvar uma empresa com dívidas dá certo?

Para que a estratégia de comprar empresa com dívidas dê certo, é importante que seja possível salvar esse negócio. Afinal de contas, a teoria pode “aceitar” tudo: mas e na prática? Como essa ideia se dá?

A verdade é que sim, existem muitos casos de empresas que estiveram à um triz da falência, mas se reestruturaram e hoje são líderes de mercado.

Quer um exemplo? Então veja a Marvel. No fim dos anos 90, a empresa iniciou um processo de recuperação judicial para não ir à falência, tal grave era sua situação financeira.

Hoje, a Marvel é uma marca que vale muito dinheiro, tem um faturamento enorme e uma influência gigantesca no mercado.

O que aconteceu nesses 25 anos, mais ou menos? Um processo sério de gestão que segurou os gastos e reestruturou o leque de portfólio de produtos da empresa.

A Marvel lançou seu “Universo Ultimate” e voltou a ter sucesso no seu principal produto: os quadrinhos.

Pouco depois, investiu na diversificação dos seus principais ativos e entrou em outros mercados, lançando seus heróis nos cinemas. De lá, vieram os bonecos e outras oportunidades de ganhos com licenciamento.

Não foi à toa que a Disney logo viu a oportunidade de comprar uma empresa que ainda estava endividada. O potencial de crescimento estava todo ali, só era preciso explorá-lo.

Assim como a Marvel, muitas outras empresas estiveram endividadas há anos e, hoje, são grandes players do seu nicho. Marcas como:

  • Apple;
  • Pão de Açúcar;
  • Puma;
  • Philips;
  • Nokia;
  • GM.

Portanto, é possível que uma empresa endividada dê a volta por cima. A questão é: o negócio que você quer comprar será capaz disso?

Como separar uma empresa fadada à falência de um negócio recuperável?

Essa é a pergunta de R$1 milhão, não é mesmo? Na verdade, é a pergunta de muito mais do que apenas R$1 milhão.

Quem tiver a resposta para essa pergunta, poderia ganhar muito mais dinheiro do que isso.

É difícil decretar com certeza quando uma empresa está fadada à falência e quando ela ainda é recuperável, especialmente quando olhamos de fora.

De um lado, existem os “videntes do passado”: aqueles para quem tudo era “óbvio” depois de ver o que já aconteceu. Do outro, existem os “amantes do imponderável”, aqueles para quem “tudo é possível”.

A resposta está nem em um extremo e nem em outro.

De fato, não dá para ter 100% de certeza de que um negócio é recuperável, mas existem diversos fatores que ajudam a dar mais segurança em um prognóstico do tipo.

Por exemplo:

  • A empresa é capaz de gerar recursos constantemente? Ou seja, é capaz de vender em grande quantidade?
  • Existem ativos liquidáveis que podem pagar as dívidas sem comprometer o fluxo de vendas?
  • Há margem para a redução de custos sem perda produtiva ou de eficiência?
  • Existem ativos que podem ser aproveitados de outra forma? Essa é uma marca forte em seu contexto (local, nacional, global)?
  • O mercado no qual a empresa está inserida é promissor? Ou é um mercado já em declínio?
  • Existe know-how e tecnologia para implementar um modelo mais lucrativo de gestão?

Todos esses fatores são bons termômetros para perceber se uma empresa pode ser salva ou se as suas dívidas são “terminais”, por assim dizer.

Saber ler esse termômetro é essencial para fazer um ótimo negócio e aproveitar oportunidades de lucro significativas.

O que devo fazer se quero comprar empresa com dívidas?

Você se envolveu recentemente em uma oportunidade para comprar empresa com dívidas e quer saber se é um bom negócio ou não? Aqui vão algumas dicas do que fazer em seguida!

Peça documentos completos que mostrem a saúde financeira da empresa: é vital que você possa ver o estado financeiro completo do negócio antes de comprá-lo. Não esqueça também de verificar os números através uma due diligence.

De certa forma, você é como um médico: não dá para saber se há como tratar aquele paciente ou não sem um diagnóstico completo, concorda? Então você precisa ver os documentos financeiros do negócio. Se for o caso, passe-os por um contador de confiança para ter uma visão completa da oportunidade.

Faça um valuation: um relatório de business valuation dará uma nova visão ao negócio que você pretende comprar. Claro: o valor de uma empresa endividada é menor, naturalmente. No entanto, um bom relatório de valuation mostrará potenciais oportunidades de valoração no longo prazo.

Lembre-se de que para fazer valuation, é necessário entender o que constrói valor em uma empresa. Se o negócio endividado tiver boas bases, então valerá a pena fazer a aquisição (e isso aparecerá no valuation).

Ebook Valuation PME

Mapeie as oportunidades: um ponto básico para garantir comprar ou não uma empresa com dívidas é mapear as oportunidades de ação. Veja o que pode ou não ser feito e estime os resultados.

Por exemplo, mapeie todo o fluxo de produção do negócio e estude como pode ser possível cortar gastos, melhorar as margens e ampliar o lucro recebido. Esse mapeamento mostrará se vale ou não a pena comprar a empresa.

Conclusão

Como vimos, comprar empresa com dívida não é uma “loucura”, mas também não é algo simples. É possível fazer um excelente negócio e comprar uma empresa que dará muito lucro no futuro por um preço baixíssimo? Sim, claro.

No entanto, para isso, é vital saber peneirar as oportunidades, filtrar as empresas disponíveis e atuar naqueles negócios que são verdadeiras jóias brutas, esperando apenas a lapidação.

A Valutech pode ajudar você nesse processo. Com nossa ferramenta de valutaion especializada em pequenas e médias empresas, você conseguirá entender melhor os negócios que pretende comprar — e a um baixíssimo custo.

É uma ferramenta fantástica para quem quer comprar empresa com dívidas e precisa de uma visão melhor do negócio que vai adquirir.

Portanto, entenda como nosso processo de valuation funciona agora mesmo!